UM LIVRO E QUATRO TEMAS DE REDAÇÃO: “Vidas secas”, de Graciliano Ramos Deixar um comentário

“Vidas secas”, de Graciliano Ramos, é um clássico da literatura regionalista dos anos 1930 e pode ser usado para ajudar você a contextualizar alguns temas de redação. Veja, a seguir, como usar a obra literária na redação do ENEM:

MIGRAÇÕES

Em “Vidas secas”, de Graciliano Ramos, as personagens principais deslocam-se em busca de um lugar onde seja possível trabalhar e viver com alguma dignidade. No primeiro capítulo, depois de um período de chuva, os retirantes acabam se estabelecendo em uma fazenda abandonada. Ali, passam um bom período. Meses depois, porém, com a chegada da seca, empreendem uma fuga, na direção do sul do país, em busca de melhores condições de vida.
Não há dúvida de que os deslocamentos realizados pelos protagonistas são análogos àqueles movimentos de pessoas denominados de êxodo rural que se fizeram presentes, por exemplo, nos anos 1960 e 1970, quando da expansão da fronteira agrícola no Brasil.

BIOMAS BRASILEIROS

Em toda a obra de Graciliano Ramos, há uma apresentação detalhada da paisagem nordestina. Em “Vidas secas”, por exemplo, assim como em outras obras do regionalismo modernista da primeira metade do século XX, a paisagem agreste do sertão — evidenciada por mandacarus, juazeiros, chuvas escassas, pelo azul do céu espelhado nos olhos de Fabiano e pelo vermelho da paisagem queimada que se faz notar na barba e no cabelo ruivos — acaba funcionando como um obstáculo para a fixação do homem à terra.
DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA NO TERRITÓRIO NACIONAL

Há um destaque, no livro, para a ausência de chuvas [fenômeno natural responsável pela intensificação do êxodo rural], que permite tanto pensar na falta de ações para a distribuição equitativa de água no território brasileiro, quanto na desertificação do bioma da caatinga, acentuada pela ação do homem e pela falta de políticas de preservação da natureza.

CRISE HÍDRICA

A seca, presente no título da obra e na vida das personagens, pode ser discutida como uma questão tanto antrópica [intensificada pela destruição da natureza, levada a cabo durante os processos de expansão da pecuária extensiva, da urbanização desordenada, bem como da derrubada da vegetação para a produção de lenha e de carvão vegeta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *